O que seu Sistema de Radiocomunicação tem a ver com o Furacão Sandy?

Sandy

Todos sabemos que o planeta esta passando por um período de aumento de temperatura, em média 1 por ano.

Essas alterações denominadas pelos meteorologistas como “mudanças climáticas”, alteram substancialmente todos os processos de correntes marítimas, pressão atmosférica, dentre outros sistemas estruturais responsáveis pelo clima em todo mundo.

Uma das principais consequências da mudança climática, segundo especialistas é o aumento das correntes marinhas e correntes de ventos, sendo essa última a principal causa de interrupção em Sistemas de Telecomunicações e, em especial de Radiocomunicação Empresarial, que utiliza muitas torres.

Furacões, ciclones e tufões sempre existirão e continuarão a existir. Mas, acontece que alguns projetos de torres antigas tinham como premissas a resistência a ventos com velocidade bem menor que as atualmente registradas.

Em razão disso, é altamente recomendável que os projetos de estruturas metálicas já implantados sejam regularmente vistoriados e em alguns casos até revistos, pois há algumas décadas atrás muitos projetos de fundação e estrutura de torres tinham como premissas ventos de até 100 km/h.

Hoje notamos uma maior incidência e frequência de ventos acima desta velocidade em várias partes do mundo, como no caso do furacão Sandy, que chegou a quase 160 km/h.

Ressalte-se que a norma técnica brasileira é mais visionária e já prevê essa velocidade (160 km/h) ao contrário de outras normas técnicas internacionais, menos rigorosa em relação a esse importante parâmetro.

Você sabia que as mudanças climáticas influenciam diretamente no seu sistema de radiocomunicação?
Você sabia que as mudanças climáticas influenciam diretamente no seu sistema de radiocomunicação?

Essa diferença de 60 km/h, pode em muitos casos derrubar uma torre expondo a riscos toda a comunidade em que elas estão instaladas.

Afora isso, haverá prejuízos materiais e logísticos pois sem comunicação nenhuma empresa consegue operar.

Em geral, as torres suportam todos os sistemas de voz, dados e telecomunicações como internet, e-mails bem como outros sistemas de informação.

Outro fator de risco comumente verificado é a falta de critérios na utilização, instalação e capacidade de carregamento de torres. Toda torre de telecomunicações possui uma capacidade de carga que não deve ser ultrapassada.

Muitas empresas que possuem torres em suas instalações não possuem controle sobre essa documentação e em casos mais graves sequer tem a documentação.

Como prevenir é melhor que remediar o ideal é regularmente fazer uma vistoria geral na estrutura para que se possa corrigir de antemão erros de projeto, desgastes decorrentes de deformidade ou fadiga na estrutura.

Atuando dessa forma, certamente panes e interrupções de sistemas de telecomunicações serão evitadas, e principalmente, a vida e a saúde de muitas pessoas serão preservadas.

As mudanças climáticas têm influência direta no sistema de radiocomunicação da sua empresa
As mudanças climáticas têm influência direta no sistema de radiocomunicação da sua empresa.

Comentários no Facebook