A Copa do Mundo e os Desafios da Radiocomunicação

Como o evento mais badalado dos esportes no Brasil, em 2014 será um teste para a nossa infraestutura.

No dia 10 de setembro aconteceu o amistoso do Brasil contra a China. Nesse dia, a organização do evento realizou um teste piloto com o sistema radiocomunicação com os órgãos que fizeram a segurança no Estádio José Rego Maciel.

O acontecimento da Copa do Mundo no Brasil será um enorme desafio para a infraestrutura de serviços do país: aeroportos, hoteis, locadoras de veículos, taxitas, restaurantes, telefonia celular, enfim, em inúmeros eventos.

Os serviços públicos, tais como: Segurança Pública, bombeiros, Engenharia de Tráfego, Guarda Civil, bem como outros órgãos também trabalharão em sua capacidade máxima e serão muito exigidos.

Nesse contexto, a Radiocomunicação, é Peça chave, na integração de equipes, gerando sinergia entre os agentes de campo e a central de inteligência das corporações acima mencionadas.

Essa será uma oportunidade de mostrar que um país de dimensões continentais tem sim a competência de receber milhares de turistas e visitantes de outros países e dar conta do recado.

No tocante aos serviços de telecomunicações, os desafios podem ser maiores porque nos deparamos com muitas questões, no mínimo delicadas:

Problemas de demanda no quesito infraesturura das operadoras de telefonia.

As operadoras de telefonia – móvel e fixa – estão diante dos holofotes. Depois do relatório da Anatel que confirmou que a TIM derrubava, propositalmente, as ligações de seus planos, a fiscalização vai começar a aumentar.

– O acesso á internet é um grande desafio.

Se lembrarmos que, há pouco mais de 10 anos tínhamos um país aonde a Embratel – Empresa Brasileira de Telecomunicações era privada, entendemos o quanto estamos atrasados nessa tecnologia.

O acesso a internet no Brasil é um grande desafio
O acesso a internet no Brasil ainda é um grande desafio.

Isso porque, enquanto o mundo todo estava começando a brincar de internet, ainda tínhamos por aqui, o desafio de popularizar o telefone fixo – que muita gente já abandonou.

Até 2008 pouquíssimos lares sabiam o que era internet banda larga e ainda precisavam ouvir aquele belo barulho de transmissão de informações para se conectar a uma velocidade de, no máximo 56kbps.

Depois de 2008, os planos de internet banda larga populares, possibilitaram a  muita gente conectar sem ocupar a linha telefônica. Apesar disso, paradoxalmente, ainda temos muitas cidades, em que nem a energia elétrica existe, ou se existe é precária na qualidade e no fornecimento.

Radiocomunicação para o apoio operacional.

A radiocomunicação está por detrás de muitos serviços brasileiros que vão da comunicação entre aviões e torres de controle, até serviços de segurança, comunicação entre barcos e etc.

Isso significa que o serviço de radiocomunicação precisa estar pronto para essa sobrecarga no sistema. Uma sobrecarga que, mesmo que temporária, será de grande importância para determinar o sucesso do evento por aqui.

Interoperabilidade

Você sabe o que siginifica esse palavrão? Interopebabilidade é a capacidade de integrar telefonia móvel, fixa, internet e radiocomunicação (de diferentes protocolos) na qual em uma emergência, redes diferentes sejam capazes de operar integradas.

A pergunta que fica é, será que vamos conseguir cumprir esse desafio (até 2013) e, não manchar a imagem do serviço de atendimento ao turista que temos pelo mundo?

Se passarmos pelo desafio ilesos, certamente demonstraremos nosso poder de adaptação e atendimento. Além disso, caso isso aconteça, teremos uma estrutura melhorada para o mundial de clubes.

Gráfico da velocidade da internet ao redor do mundo
Gráfico da velocidade da internet ao redor do mundo.

___

Artigo originalmente publicado na página do Grupo Avanzi: http://www.grupoavanzi.com/blog/a-copa-do-mundo-e-os-desafios-da-radiocomunicacao.

Comentários no Facebook